segunda-feira, 15 de junho de 2015

Diário de Bordo: 1,2,3 Clássicos - Ônibus Biblioteca, Parque Peruche

Destino : Parque Peruche!

"Vamos juntos? Qual o endereço? Qual o horário?" 
Depois da ansiedade da primeira, vem a ansiedade da segunda...

12h15 na catraca do metrô Barra funda.

Papel crepon ou alface?

12h17 Gabriel me liga -Já estou na plataforma -ok.

12h20 Tamara chega.

-Trouxe crepon porque o alface tava cinco reais! Tamara vai falando enquanto me entrega a sacola.

Dentro da lotação (perua, micro-ônibus, van...) 138Y-10 Hosp. Cachoerinha seguimos pro nosso destino. 

Papo vai, papo vem, discussão, idéias, chegamos.
(Um rapaz nos avisou quando deveríamos descer)

Qual era a boa? 
Ninguém sabia da gente! 

Eu confesso que fiquei irritado, o coordenador Rodrigo (da qual eu conheci no dia do meu aniversário ano passado na "circulação do Rolezinho") disse que não estava sabendo de nada, mas iria resolver!

Quando a gente voltou da padaria ele no avisou que uma das escolas não poderiam ir, e que iria tentar em outra. -Tenho uma noticia boa e outra ruim. Vem uma escola, mas tem que começar as 14h30. 

Claro, mais tempo pra se maquiar, pra arrumar as marcações... que nada!
Quando a gente vê, uma fila de criança vem subindo pra conhecer o ônibus, elas nunca tinham entrado, tão pequena e tão poderosas. 
Desci pra interagir, já estava pronto mesmo, fui lá!

Quanta criança, todas querem falar ao mesmo tempo.Subi com elas e comecei a ser contaminado por elas, que estavam enlouquecidas, empolgadas com tudo, tudo era festa, o palhaço, os livros, o ônibus, "-Patati Patatá", "-Nãoooo. retruquei! Guaianazes, prazer!" Comecei a pular, elas começaram a pular, e depois desci, precisava saber como estava as coisas. 

O ônibus iria descer em frente a escola e as crianças iriam juntos, fui também...
-Todos sentados, o ônibus vai andar! Gritaria, festa, alegria!
Quando o ônibus desceu lá vai eu organizar as crianças pra descer, o que eu inventei? De descer todas, uma por uma no chão, só uma não veio, tinha medo de palhaço!

Outra sala chega e mais outra! Tudo preparado, vai começar!


"Quando começa?" 

No dia 11/06 essa questão ficou na minha cabeça depois da apresentação no Largo Peruche. As crianças chegaram antes da hora estipulada e nós, 3 palhaços ansiosos, começamos a interagir com elas. Quando "começamos" o espetáculo a relação já estava estabelecida. O jogo entre público e palhaços era completamente diferente. Era um jogo que já havia começado antes do espetáculo começar! Inocência a minha achar que quando colocássemos a musica inicial o botão reset seria apertado. O BOTÃO RESET NÃO EXISTE! Simples assim! "O jogo começa antes da cena, sua besta!" E repensando bastante sobre isso, chego a conclusão que o jogo começa quando coloco meu figurino na mochila, quando pego o ônibus, quando encontro meus parceiros. É... O jogo é eterno! Que bom!


Boa tardeee! Começou o Otto...
Boa tardeeeeeeeeeeeeeee, gritaram todos.

E realmente a tarde no Parque Peruche foi realmente boa. 
Boa de guardar no peito e lembrar daquela multidão de criança rindo e sorrindo, interagindo. 

Elas queriam participar a todo custo, e participavam.

Obrigado Parque Peruche, por essas crianças lindas e pela Vanderléia da Padaria Santa Eudóxia, por R$4,00.

Alessandro Aguipe/Guaianazes
Tamara Borges/Capitu














Nenhum comentário:

Postar um comentário